Kanazawa (金沢) significa literamente “poça de ouro”. Conta-se que o camponês Imohori Tougoro colheu batatas e foi lavá-las numa poça de água, quando percebeu que as batatas estavam com pó de ouro ao seu redor. Assim, o local passou a ser chamado de “poça de lavagem de ouro”. Esse lugar ainda existe, está no Kanazawa Jinja (santuário xintoista) e pode ser visitado. Chama-se Kinjo Reitaku.
em 1583, Toshiie Maeda, principal aliado do xógun Hideyoshi Toyotomi, que governava o Japão, ergueu o Castelo de Kanazawa, como o centro do governo da dinastia Kaga (atual província de Ishikawa). A família Maeda manteve o domínio da região por 300 anos, passando por 13 governantes descendentes de Toshiie. Durante o período, a região denominada Kaga-han, era considerada a mais poderosa ficando atrás somente de Tokugawa (Edo, atual Tóquio), que governou o país por mais de 260 anos. Numa época em que a riqueza era calculada com base na quantidade de arroz produzido, Kaga-han era conhecida como “hyakuman-goku han”, ou seja, a terra de um milhão de goku. Apesar de mostrar riqueza, essa medida tinha outra função no período Tokugawa. É que todos os seus aliados teriam que contribuir com soldados na hora de uma eventual guerra, e essa medida de riqueza também era uma medida de quantos soldados (arqueiros, cavaleiros, comandantes…) esse clã teria que participar na hora da necessidade.
O “hyakuman-goku” é atualmente nome de um festival realizado anualmente em junho em Kanazawa.
Apesar desse poder de fogo, a família Maeda não dispunha desse volume de guerreiros que deveria ter, porque sairia muito caro mantê-los, e preferiu investir na arte e cultura da região. Assim, contratou os melhores artistas e artesãos de Kyoto e Tokyo para montar escolas de artes e ofícios, os quais renderam diversos artistas de renome nacional.
Até hoje, a província de Ishikawa se beneficia desse investimento. A região tem nas suas várias artes e no turismo cultural uma boa fonte de rendimentos.